Gestão por competências: Como preencher os Gaps de sua empresa

Entenda o porquê do assunto estar se tornando tão recorrente à Gestão de Pessoas, ganhando cada vez mais espaço nas organizações e como aplicar essa ferramenta na sua empresa.

Cada vez mais comum nas organizações, a Gestão por Competências tem sido muito utilizada como forma de angariar vantagens competitivas num mercado globalizado, que demanda constante atualização dos colaboradores.

Além disso, é exigido também maior agilidade, capacidade de diferenciação contínua e habilidades para tratar questões complexas, que por vezes não existiam anteriormente em seu contexto organizacional.

Breve introdução às competências.

“Competências são combinações sinérgicas de conhecimentos, habilidades e atitudes, expressas pelo desempenho profissional, no âmbito de determinado contexto ou estratégia organizacional” (CARBONE, 2005)

De forma resumida, competência é tudo aquilo que você precisa ter em termos de técnicas, habilidades e conhecimentos para exercer determinada função.

Gestão de Pessoas orientada por Competências é um modelo de gestão de pessoas que fornece subsídios para a tomada de decisões quanto ao gerenciamento do corpo funcional, segundo critérios objetivos e transparentes. Isso tem início a partir das competências destacadas como importantes para o efetivo cumprimento da missão e visão da organização de acordo com seu ciclo estratégico. Caso tenha dúvidas de real efetividade de um MVV bem definido, deixamos um link no final desse artigo.

Assim, uma empresa que já possui as competências adequadas para determinado cargo delimitadas e monitoradas pode adquirir vantagem como a redução de custos para captá-las em seus funcionários, tendo em vista que poderá fornecer propostas de desenvolvimento e treinamento “personalizadas” para aqueles que necessitam adquirir determinada competência.

Mas como saber se esse modelo é adaptável para a realidade da minha empresa?

Alguma vez você já se perguntou se tem investido estrategicamente em seus funcionários? Ou sentiu que seus funcionários poderiam obter melhores resultados, porém não sabe o que exatamente poderia ser feito?

Caso já tenha passado alguns desses pensamentos pela sua cabeça, então esse texto é para você!

Para identificar uma competência e torná-la mais fácil de ser gerenciada, primeiramente, é preciso levar alguns fatores em consideração, são eles: conhecimentos, habilidades e atitudes, conhecidos no campo da administração como CHAs.

QUERO AGENDAR UM DIAGNÓSTICO!

Mas afinal, o que cada um deles significa na realidade de uma empresa?

Conhecimento:

“São informações que, ao serem reconhecidas e integradas pelo indivíduo em sua memória causam impacto sobre seu julgamento ou comportamento, ou seja, refere-se ao ‘saber’ que a pessoa acumulou ao longo de sua vida, algo relacionado à lembrança de conceitos, ideias ou fenômenos” (Bloom et al.,1979; Davis e Botkin, 1994).

Um exemplo de conhecimento cobrado amplamente por empresas dos mais diversos setores é o de Pacote Office (Word, Excel, Powerpoint), podendo ser utilizados para criação de documentos e gerenciamento e controle de planilhas.

Habilidade:

“A habilidade está relacionada à aplicação produtiva do conhecimento, ou seja, à capacidade da pessoa de instaurar conhecimentos armazenados em sua memória e utilizá-los em uma ação” (CARBONE, 2005).

Com base no conhecimento abordado, algumas das habilidades exigidas pelo mercado se caracterizam como criação de planilhas, criação de atas de reunião, confecção de apresentações de alto impacto e assim por diante.

Atitude:

“A atitude refere-se a aspectos sociais e afetivos relacionados ao trabalho (Durand,2000). Diz respeito a um sentimento ou à predisposição da pessoa, que determina a sua conduta em relação aos outros, ao trabalho ou a situações.”

Como atitudes relacionadas ao uso do Pacote Office, podem ser citadas a predisposição em solucionar possíveis erros e o uso constante das ferramentas necessárias a função exercida.

Quais são as principais vantagens de possuir as competências da minha empresa mapeadas?

Uma das principais vantagens existentes do processo é gerar vantagem competitiva, pois com o estudo do mercado alinhado às competências organizacionais mapeadas, pode-se definir quais são as competências necessárias para a sua empresa que serão capazes de assegurar a liderança do mercado.

Além disso, outra vantagem em possuir o processo de mapear as competências essenciais é descobrir os principais gaps de competências dentro da empresa, permitindo criar insights para supri-los.

Ou seja, as empresas não mais estarão investindo em capacitações de forma aleatória, mas sim no que realmente lhe trará retorno. E como posso identificar as competências necessárias para a realização das atividades da minha empresa?

A melhor maneira de descobrir quais são as competências essenciais para atuação no seu tipo de negócio se dá por meio da realização de um Mapeamento de Competências, solução vendida e executada pela AD&M, que serve para definir essas competências necessárias, tendo em vista que uma empresa que cujas competências estão bem definidas sabe exatamente o que esperar de cada funcionário e de que maneira maximizar os resultados para o alcance dos objetivos estratégicos.

E como nós elaboramos?

Uma boa prática realizado por diversas empresas que usamos dependendo do contexto do cliente é dividir o processo em 4 etapas:

A primeira etapa é geralmente um período de imersão na realidade da empresa. O intuito é que o consultor ou responsável pelo mapeamento, através de entrevistas com os funcionários dos setores (dependendo do tamanho do departamento não é viável contatar todos), recolha insumos para identificar as competências.

Após a realização das entrevistas, é realizado a etapa de diagnóstico, isto é, destrinchamos as entrevistas, buscando identificar quais as competências e CHAs essenciais para a execução do processo de trabalho no setor.

É importante, evidenciar que a colaboração dos funcionários é essencial para o andamento do projeto, pois são eles que possuem contato constante com as tarefas executadas, estando aptos a dizerem o quão presente determinada competência está na sua rotina laboral.

A terceira etapa, consiste na criação de um formulário utilizado justamente para que seja realizada a coleta de percepção por parte dos colaboradores do quão evidente e condizente estão as percepções diagnosticadas dentro da realidade de cada unidade. 

A quarta e – por vezes –  última etapa consiste na confecção de um relatório final. Neste relatório, entregue aos gestores, os elementos coletados nas etapas anteriores (os quais fornecerão insumo para tomada de decisão), podendo ser traçado ou não – de acordo com a vontade dos clientes – planos de ação pela consultoria com possíveis práticas que possibilitem o aperfeiçoamento do que foi apontado como pontos de melhoria.

Esse modelo pode ser inteiramente replicável pelo sócio e/ou responsável pela sua empresa! Entretanto, caso queira contar com nosso know-how para a aplicabilidade dessa gestão em seu negócio, entre em contato conosco!

E se você quiser saber mais sobre como explorar esse tema, pode ler os seguintes artigos:

Você REALMENTE sabe utilizar o MVV? Para visualizar a importância e aplicabilidade da missão, visão e valores na sua empresa.

Planejamento Estratégico: entenda como conquistar o voto do cliente! Para entender a necessidade do planejamento estratégico no cenário competitivo.

Nesse contexto a AD&M já executou mais de 600 projetos de consultoria em gestão empresarial e oferece suporte em diversas áreas, solucionando dores de recrutamento e seleção à reconhecimento e incentivo.

E aí? Agende um horário para pensarmos juntos no futuro da sua empresa! O diagnóstico é grátis.

Quero conversar com um especialista!

Texto escrito por: Thiago Zottmann

Anúncios