Programa 5S: A importância da padronização dentro das organizações

arrows box business chalk
Foto por Pixabay em Pexels.com

Nesse artigo você conhecerá a metodologia 5S e entenderá melhor sobre controle de estoque, padronização e redução do desperdício dentro das organizações. O programa se baseia em 5 pilares essenciais, funcionando como uma filosofia de conduta para todos os colaboradores da empresa.

O Japão e o surgimento dos 5S

Criada no período pós 2ª Guerra Mundial, essa metodologia teve por finalidade recuperar o Japão dos desastres ocorridos na época através de uma filosofia baseada no ordenamento e no combate ao desperdício.

Dessa forma, por conta de sua excelência os 5s (Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke) passaram a fazer parte não só da cultura das organizações do Japão, mas também das empresas do mundo inteiro. No Brasil, por fins de didática, os 5s foram traduzidos como Sensos (Senso de utilização, Senso de organização, Senso de limpeza, Senso de higiene e Senso de autodisciplina) que buscam orientar o comportamento de todos os colaboradores de uma determinada organização.

E qual é o significado de cada S e como isso afeta a sua empresa?

Seiri – Senso de utilização

Este primeiro senso tem por objetivo analisar os equipamentos, materiais, objetos e documentos para identificar quais são úteis e quais não são. Dessa maneira, a empresa deve manter dentro do ambiente apenas os materiais que são úteis e descartar os demais. Essa prática, apesar de simples, auxilia bastante na implementação dos outros sensos, pois serve como um primeiro passo no processo de organização da empresa.

É válido ressaltar também que o Seiri não se aplica somente à itens físicos. Itens intangíveis como documentos ou pastas armazenadas no computador. Além disso, no caso de itens físicos como papéis, pilhas e ferramentas é importante também que a organização preste atenção para a forma como esses objetos serão descartados, tendo em vista o impacto ambiental que estes podem causar.

Seiton – Senso de organização

Você já imaginou o quanto o trabalho de um vendedor de calçados se tornaria difícil caso todos os tênis e sapatos da loja ficassem armazenado desordenadamente no estoque? O cliente provavelmente cansaria de esperar e a loja perderia uma venda potencial.

Problemas como esse podem ser evitados por meio da implementação do Seiton, Senso de organização. O princípio desse senso é organizar os materiais do ambiente de trabalho de modo que seja fácil para o funcionário localizá-los e acessá-los, o que consequentemente aumenta a rapidez dos processos dentro da empresa.

Uma excelente forma de aplicar esse senso seria através da classificação dos materiais com base na utilidade, disponibilizando os mais utilizados em locais mais acessíveis e os menos utilizados em locais menos acessíveis.

Seiso – Senso de limpeza

Focado em desenvolver a consciência nos trabalhadores de manter o ambiente sempre limpo e organizado, o Seiso, Senso de limpeza, ajuda a deixar os funcionários mais motivados e engajados com suas respectivas funções, pois sua implementação torna o local de trabalho mais bonito e agradável aos colaboradores.

Entretanto, um dos erros mais comuns cometidos pelas empresas que tentam implementar esse senso é confundi-lo com uma simples faxina, esquecendo-se de que a prática de manter o ambiente limpo deve estar incutida na mente de todos os funcionários e não somente nos responsáveis pelos serviço.

QUERO AGENDAR UM DIAGNÓSTICO!

Seiketsu – Senso de higiene

De significado bastante amplo, o Seiketsu, Senso de higiene, tem como principal objetivo garantir a saúde de cada funcionário. Nele estão envolvidas questões relacionadas a ergonomia, equipamentos de segurança, criação de normas e cuidados com a alimentação dos trabalhadores.

Um dos exemplos mais clássicos de como esse senso influencia os processos da organização pode ser representado através da experiência de Hawthorne realizada por Elton Mayo, um dos principais teóricos da administração.

Nesta experiência, Mayo analisou o quanto a luminosidade afetava a produtividade de dois grupos distintos de operários. Ao final do experimento foi observado que o grupo que estava sobre condições melhores de luminosidade obteve um rendimento superior aos que trabalhavam sob condições inferiores. Dessa maneira, constatou-se como que fatores básicos do ambiente juntamente com fatores psicológicos geram um forte impacto na produtividade dos funcionários de uma empresa.    

Shitsuke – Senso de autodisciplina

Como último senso, o Shitsuke, Senso de autodisciplina, visa reforçar a ideia de que todos os membros da organização são responsáveis pela implementação do 5S, sendo, portanto, o senso mais relevante para o sucesso do programa.

Como forma de desenvolver essa consciência em seus funcionários, as organizações geralmente distribuem cartilhas sobre a metodologia e até mesmo realizam eventos para apresentar os benefícios e os resultados gerados pela implementação do programa.

Em resumo, os cinco sensos devem ser vistos como parte da cultura da empresa e não somente como um mero processo temporário.

E se você quiser saber mais sobre como explorar esse tema, pode ler o seguinte artigo:

Feedback: Coloque AGORA em prática. Para compreender uma cultura organizacional que possa ajudar seus colaboradores a implementar o 5S.

Nesse contexto a AD&M já executou mais de 600 projetos de consultoria em gestão empresarial e oferece suporte em diversas áreas, solucionando dores de cultura organizacional e planejamento de iniciativas estratégicas.

Quer entender melhor como adotar o programa 5S na realidade de seu negócio? Entre em contato conosco!

Quero conversar com um especialista!

Texto escrito por : Vinícius Sampaio

Anúncios